quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Sobre Chico Buarque.



"Todo dia ela faz tudo sempre igual:
Me sacode às seis horas da manhã,
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã." Cotidiano,Chico Buarque




Chico é um dos meus compositores favoritos. Ele ficou famoso por suas querelas com a Ditadura de 60, mas Antes de ser O Político, Chico era apreciador das mulheres e tentava desvendá-las em suas músicas, como no trecho abaixo de Olhos nos olhos:

"E que venho até remoçando,
Me pego cantando, sem mais, nem por quê.
Tantas águas rolaram,
Quantos homens me amaram
Bem mais e melhor que você."

Foram muitas outras músicas explorando a pisique feminina. Pedaço de Mim, que explorou a maternidade, Com açúcar e com afeto e Valsinha são umas das minhas preferidas. Fizeram uma coletânia dele com 12 cds, vi algumas partes da entrevista e ele comentava que o universo feminino era muito interessante para ele, por causa de alguns aspectos de sua infância acho. Pra mim, não importa o porquê. Eu o acho genial demais, mesmo quando fez uma piadinha machista em Quadrilha ("a mesa posta de peixe tem o cheirinho da sua filha").

Ele também teve sua faceta de malandro. Aliás, não tem como desvincular o samba da ideia de malandragem, e isso não é ruim, é a cultura dos morros que Chico se apropria e faz entrar na alta sociedade. Em seu tempo, Chico tentou a aproximação da nata da intelectualidade com a cultura popular. Partido Alto é um grande exemplo desse projeto veja:

"Deus me fez um cara fraco,
Desdentado e feio
Pele e osso simplesmente,
Quase sem recheio
Mas se alguém me desafia
E bota a mãe no meio
Dou pernada a três por quatro
E nem me despenteio"

Hoje em dia há quem critique esse compositor porque a maioria de seus fãs é de elite, mas não param para analisar que a realidade representada por ele em muitas de suas letras é a do cidadão comum sem dinheiro. Ele mesmo não foi rico sempre, mas teve acesso a erudição, pois seu pai era o importante historiador Sérgio Buarque de Hollanda. Por mais que este não tenha obrigado seus filhos a serem eruditos, viver numa casa cheia de livros normalmente incentiva a criança a gostar deles, a sentir curiosidade pela leitura.

Não acho que ele faça músicas inacessíveis ao público. São músicas inteligentes sim, mas é muito fácil se identificar com elas ou ver pessoas conhecidas nelas. Há muitas músicas melancólicas, é verdade, mas também tem as que são ácidas, do jeitinho que nosso povo gosta.

Por fim vou deixar para vocês um vídeo que gosto muito:

Um comentário:

  1. carlos seu blog esta as moscas!escreva alguma coisa nele.

    ResponderExcluir