segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

INCÊNDIO PREJUDICA O CARNAVAL DE TRÊS ESCOLAS DE SAMBA NO RIO DE JANEIRO

 Foto: R7.com

Por Carlos Pinho . . .

Um grande incêndio nos barracões das Escolas de Samba Grande Rio, União da Ilha e Portela comprometeu e muito a beleza e a conclusão de seus projetos para o desfile na Sapucaí. 

A defesa interditou o local, já que parte da estrutura ficou bastante danificada. A União da Ilha, que iniciou os trabalhos de preparação do Carnaval em junho do ano passado, perdeu quase todas as fantasias de seu enredo O Mistério da Vida e ainda teve uma de suas alegorias prejudicada. A Portela, segundo o seu carnavalesco Roberto Szaniecki, teve uma perda aproximada de 90% , entre alegorias, fantasias e adereços. A Grande Rio, a agremiação de Duque de Caxias, considerada por muitos uma das favoritas desse ano, foi a que sofreu mais com o fogo. Ao ver o cenário de destruição de todo o trabalho construído em um ano, Helinho Figueiredo, presidente da Escola, chegou a passar mal na praça de alimentação da Cidade do Samba.

Dirigentes da Portela, desesperados com a situação, tentaram a todo custo entrar para recuperar o que pudessem, mas foram contidos pelos policiais, que faziam a segurança do local.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, prometeu todo o apoio necessário para que as Escolas possam entrar na avenida “da melhor maneira possível”, palavras dele. Sugeriu também que a Liesa não rebaixe nenhuma das envolvidas. Apesar da destruição, os presidentes das três agremiações garantiram que colocarão as Escolas na avenida.

A cúpula da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro promoverá uma reunião na noite desta segunda para analisar o caso. A possibilidade de não ocorrer rebaixamento no Grupo Especial neste carnaval será estudada.

Era a obra de um ano. Um ano de esforço para dar vida a uma idéia. Dos meros vergalhões, uma estrutura de alegoria. As plumas enfeitando as fantasias. Pessoas trabalhando com afinco, dia e noite, dormindo no barracão, para garantir que tudo terminasse dentro do prazo. Os frutos de um trabalho árduo e suado consumidos pelas chamas. No entanto, a esperança é chama que não se apaga.


Mais do que nunca, a força das comunidades que transformam os sonhos dos enredos em realidade no palco maior da folia, será necessária. Um povo que terá de enxugar as lágrimas, “levantar a poeira e dar a volta por cima”, como diz o eterno samba de Paulo Vanzolini. O luxo das alegorias e a beleza das fantasias são importantes nessa festa que cada vez mais atrai o olhar do mundo. Entretanto, o diferencial sempre foi e será a garra inesgotável dos operários da folia, o samba cantado com amor e devoção pelos componentes, o requebrado das passistas, o bailar elegante do mestre-sala e da porta-bandeira, o girar harmonioso das baianas, a essência desse patrimônio histórico da nossa gente. Uma manifestação cultural que desde os desfiles na Praça Onze, quando o carnaval era elitizado e a alternativa do povão era botar o bloco na rua, vem mostrando o seu inestimável valor.
 

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. "... Apesar de você, amanhã há de ser outro dia..." essa canção de Chico Buarque não foi feita para esse terrível acontecimento, mas bem que pode ser aproveitada, afinal o que passou, passou...
    Hoje foi um dos dias mais tristes na história da Cidade Maravilhosa, até porque, queiram ou não, o Samba é o carro-chefe de nossa cidade. É ele que atrai todos os anos no período de carnaval, milhares de turistas que trazem dinheiro e movimentam nossa economia. E até essa cultura estava mudando, por causa das visitas guiadas e shows que são organizados durante todo o ano pelas escolas na Cidade do Samba: Beleza, Luxo, Música, Diversão, isso é o Samba!
    Olhando pelo viés artístico, só nos resta lamentar. Nunca saberemos exatamente o que as três agremiações atingidas haviam planejado para seus desfiles.
    Acho que foi acertada a decisão da LIESA de não haver rebaixamento, assim como a troca do dia do desfile entre Mocidade e Portela.
    É Pinho, agora é hora de união e solidariedade, sem deixar a peteca cair!
    Garra e Bola pra Frente!

    ResponderExcluir