domingo, 1 de maio de 2011

Hip Hop: Cultura Popular e Potencial Revolucionário


Venho neste artigo expressar minha grande admiração, apesar de não ser um grande conhecedor, por este que pode ser considerado um gênero musical, mas que ao meu ver hoje se destaca como uma nascente cultura popular no mundo todo.

Apesar de muitas vezes apropriado pela indústria fonográfica como algo fútil, como forma de introjetar velhos vícios da nossa sociedade como o machismo, a ganância e diversos outros valores inerentes a construção simbólica do capitalismo, o Hip-Hop é, na verdade ( e essa face não aparece na mídia), a expressão de uma cultura contra-hegemônica, de valorização do pobre, do trabalhador, dos sonhos da juventude.

Este papel já foi cumprido anteriormente pelo blues americano, aquele que expressava as saudades do negro americano da África, no nosso próprio samba brasileiro e às vezes até no rock, como questionamento aos padrões morais do velho continente. No entanto, o Hip-Hop ( resultado da ascensão da música percursiva, tema que dá pano pra manga e outro artigo) combina o viés popular com a influência em escala mundial.

Abaixo envio vídeo do MC Durango Kid, ou camarada Marcelo. Jovem lutador e revolucionário, Marcelo Moraes desenvolve sua militância e expõe as suas angústias através do Hip Hop:

2 comentários:

  1. Eu acho que podia ser acrescentado ao texto a explicação de que HipHop é um movimento de música negra surgido nos EUA já há algumas décadas que consiste em grafite, rap, a dança de rua e DJs... não? :) as pessoas confundem bastante o termo "hiphop", pensam que é um genêro musical realmente e não é bem assim. :]

    ResponderExcluir
  2. Olá! No momento estou apenas te seguindo, mas prometo voltar e comentar em breve suas postagens!Agradeceria se seguisse o meu blog, assim criamos um vínculo que facilite a divulgação de ambos os blogs! passa lá?
    http://medicinepractises.blogspot.com/

    ResponderExcluir